O que é Estudo Eletrofisiológico?

O estudo eletrofisiológico consiste na introdução de cateteres (tubos finos e flexíveis especiais) em locais específicos do coração para descobrir e estudar os defeitos no sistema elétrico do coração. Além disso, o estudo eletrofisiológico é parte do procedimento de ablação por cateter, pois é através deste exame que é possível descobrir o local de origem da arritmia cardíaca. Por isso, o exame é fundamental para descobrir as causas das palpitações ou desmaios.


Cateter para estudo eletrofisiológico: espessura menor que uma caneta BIC



Modelo cardíaco com cateter para estudo eletrofisiológico (em azul)

Modelo cardíaco com cateter para estudo eletrofisiológico (em azul).

Quando está indicado o estudo eletrofisiológico?

O estudo eletrofisiológico está indicado para os pacientes que apresentam sintomas como palpitações, tonteiras e/ou desmaios. Também é utilizado para o diagnóstico de taquicardias documentadas pelo eletrocardiograma e para verificar o risco de morte súbita em alguns tipos de pacientes.

O que é Ablação por Cateter com Radiofreqüência?

É um método de tratamento das arritmias cardíacas através do qual é feita a cauterização dos seus focos, localizados pelo estudo eletrofisiológico. Essa cauterização é realizada pela aplicação de energia de radiofreqüência (uma forma de energia semelhante ao bisturi elétrico), por meio de cateteres interligados a uma máquina especial.

Quando está indicada a Ablação por Cateter com Radiofreqüência?

A indicação é sempre discutida com o médico e geralmente se aplica a pacientes que apresentam taquicardias acompanhadas de sintomas como palpitações, desmaios ou tonteiras, difíceis de serem tratadas com remédios ou nos casos do paciente preferir não tomar drogas antiarrítmicas por longo prazo.

A ablação por cateter pode ser usada para tratar as seguintes arritmias:

Como devo fazer para ser avaliado para esse exame?

Você deve procurar um médico especialista em arritmia (eletrofisiologista), que poderá ser encontrado nos grandes centros cardiológicos do Brasil.

Para o médico realizar a indicação desse procedimento torna-se necessária uma avaliação que inclui: história médica, exame físico, eletrocardiograma, ecocardiograma, holter de 24horas, entre outros.

E como faço em relação aos remédios que estou tomando?

Alguns remédios deverão ser suspensos de 3 a 30 dias antes do procedimento. Seu médico poderá lhe dar maiores esclarecimentos a respeito. Se você ficar muito ansioso na véspera do exame, poderá tomar um tranqüilizante (calmante), receitado pelo médico. Mas não se preocupe: não há razão para tal.

Como Devo me Preparar para o Estudo Eletrofisiológico e para a Ablação?

No dia anterior ao exame, faça jejum de 6 horas. No hospital, será feita a depilação na região da virilha e na região torácica, à altura do peito. Será administrada uma medicação pré-anestésica, por via oral, para tranqüilizá-lo, antes de ser encaminhado à sala de exames.

Roupas e pertences

Antes de ir para a sala de exames:

  • Deverá remover batom e esmalte das unhas. Jóias ou bijuterias deverão ser entregues à pessoa que o estiver acompanhando ou à enfermeira encarregada do setor. Não se preocupe, pois os profissionais de enfermagem irão ajudá-lo nessa tarefa.
  • Vestir a roupa (avental cirúrgico) oferecida pela enfermagem da unidade de internação.

Como é feito o Estudo Eletrofisiológico e a Ablação?

O estudo eletrofisiológico e a ablação geralmente são feitos no mesmo dia da internação. Você será orientado e preparado pela enfermeira da unidade onde ficará internado, e pelos médicos, que esclarecerão todas as suas dúvidas. Após, você será encaminhado em maca para a sala de eletrofisiologia, onde serão realizados os procedimentos.

Chegando à sala de exames, você será recebido pela equipe médica e de enfermagem, que irão prepará-lo. Nesse momento, irão conectar você a vários monitores (monitor de eletrocardiograma, aparelhos de pressão arterial, freqüência cardíaca e respiratória). Além disso, você receberá soro e um remédio que o fará dormir durante o exame. O médico-anestesista estará monitorando todo o procedimento.

A partir de então, já dormindo, a enfermeira fará a limpeza da pele utilizando solução anti-séptica na região da virilha e/ou na região lateral direita do pescoço. Serão colocados alguns panos estéreis sobre o seu corpo deixando a regoião da virilha exposta para o procedimento.

Logo em seguida, um dos médicos aplicará a anestesia local na região da virilha e ocasionalmente no lado direito do pescoço, mas você já estará dormindo. O estudo eletrofisiológico consiste na introdução de alguns cateteres na veia femoral (na virilha) e raramente, se necessário, através da veia jugular interna (pescoço). Depois de introduzidos na veia, os cateteres são levados até o interior do coração guiados através de imagens obtidas por raios X e posicionadas em locais estratégicos (átrio direito, ventrículo direito, seio coronário). Através desses cateteres é possível registrar os sinais elétricos provenientes dessas estruturas e controlar os batimentos cardíacos, através de impulsos elétricos artificiais realizados pelo médico. Dessa forma, o médico poderá estudar os problemas do sistema elétrico, induzir e avaliar a arritmia responsável pelos sintomas que o afetam no dia-a-dia.

Caso seja evidenciado algum problema no sistema elétrico, um novo cateter com a capacidade de liberar uma energia que cauteriza o foco da arritmia (cateter de ablação) é introduzido pela virilia. No caso da arritmia originar-se do lado esquerdo do coração, será necessário puncionar a artéria femoral (tubos que trazem sangue oxigenado do coração) ou realizar a punção da parede entre os átrios – cateterismo transeptal. Através do cateter de ablação, o tecido cardíaco que está em contato com a ponta do cateter é aquecido a uma temperatura previamente estabelecida pelo médico, produzindo "cauterizações" de dimensões muito pequenas. Tais lesões são localizadas exatamente sobre o foco da arritmia.

Ao final da ablação, o estudo eletrofisiológico é repetido para averiguar o resultado do tratamento. Se não houver mais arritmias, os cateteres são retirados e os locais de punção comprimidos por 20 minutos, até a cessação de qualquer sinal de sangramento. A duração média da ablação é ao redor de 90 a 120 minutos. A seguir, você será encaminhado para o quarto.

Qual é o risco destes procedimentos?

O estudo eletrofisiológico e a ablação com radiofreqüência são considerados métodos muito seguros, mas como em qualquer procedimento invasivo, podem ocorrer algumas raras complicações. Durante a consulta que antecede a ablação, o médico irá explicar com detalhes as possíveis complicações, pois elas variam dependendo do tipo de arritmia que você tenha. A complicação mais comum é o hematoma (mancha roxa na pele) que pode aparecer no local onde foi feita a punção da veia, pois quando os cateteres são retirados, é feita uma pressão para parar de sangrar. Para diminuir a chance de sangramento, você deverá ficar em repouso algumas horas após o procedimento.

Qual a taxa de sucesso da ablação por cateter?

A taxa de sucesso varia de acordo com o tipo de arritmia. Nas arritmias do tipo taquicardia por reentrada nodal, por via acessória e flutter atrial obtém-se sucesso em cerca de 95% dos casos. Converse com seu médico sobre a taxa de sucesso para o seu tipo de ablação.

Após o procedimento

Será feito um curativo especial no local da punção (virilha), sem precisar de pontos (ou sutura).
Você retornará ao quarto em maca e não poderá dobrar a perna onde foi feito o procedimento.
Permaneça em repouso absoluto com a perna imobilizada por 6 horas, conforme orientação médica e da enfermagem.

Informe a enfermeira se estiver com dor, calor ou sangramento.

A alimentação será liberada quando estiver bem acordado.

Evite esforços excessivos por um período de 24 horas.

A enfermeira e o médico responderão às suas eventuais dúvidas. Fique tranqüilo!

Alta hospitalar

Evite esforços por um período de 03 a 05 dias. Não dirija durante esse período.

Apenas lave o local da punção com água e sabão, mantendo-o sempre seco e limpo.

Tome somente os remédios receitados pelo seu médico. Em alguns casos, conforme resultado da ablação, o médico poderá lhe receitar alguns medicamentos.

O retorno ao trabalho geralmente ocorre dentro de poucos dias, o que será confirmado pelo seu médico.

Você receberá um relatório completo contendo as informações sobre tudo o que foi realizado, bem como uma prescrição com os remédios que deverá tomar.

Qualquer alteração no aspecto da ferida ("vermelhidão", saída de secreção, hematoma), entrar em contato com o seu médico.

Preste atenção

Em até 5% dos casos, a arritmia poderá voltar após a ablação. Nesses casos, procure o seu médico. De maneira geral, recomenda-se a repetição da ablação como o tratamento ideal das recorrências.

Copyright © 2009, Arritmia Cardíaca. Todos os direitos reservados.